quarta-feira, 8 de junho de 2011

O Hormônio do Crescimento




O hormônio do crescimento humano é produzido no corpo pela glândula pituitária. Mas antes de isso acontecer, o GHRH (hormônio de liberação de GH) e a somatostatina (SST) são liberados pelo hipotálamo, e isso determina se mais ou menos GH é produzido pela hipófise. Muitos fatores influenciam na liberação de GH, incluindo nutrição e exercício.

Quando ele é liberado, o GH, que é também chamado Somatotrofina (STH) tem muitas funções no corpo humano. GH é uma proteína que estimula as células a aumentar de tamanho, além de aumentar a velocidade normal de divisão celular. Além disso, ele melhora a circulação de aminoácidos através de membranas celulares e também aumenta a taxa a de conversão dessas moléculas em proteínas. Ou seja, isso provocaria um efeito anabolizante (construtor muscular) no corpo humano. O GH também tem a capacidade de diminuir a taxa normal de consumo de carboidratos pela célula e, simultaneamente, aumentar a taxa em que elas consomem gorduras. Perda de gordura e aumento de massa magra foram notados com uma dose tão baixa quanto 0.028 UI/dia de GH por kg corporal durante 24 semanas. No entanto, isso seria insuficiente para um fisiculturista tentando ganhar músculos. Vamos considerar. 0,028UI/kg como referência; são 2.8UI para um fisiculturista de 100 kg. Isso é certamente razoável, mas é com o dobro desta dosagem que fisiculturistas tem experimentado os melhores resultados. Além disso, esse período de tempo utilizado no estudo citado há pouco (24 semanas) é muito típico do uso de GH, mesmo porque, resultados consistentes são observados somente após o segundo mês de uso, e este tempo de uso tende a ser extendido por 6 meses, ou ao longo de um ano. É possível manter um índice de gordura corporal de 6-7% o ano todo com administração de GH, mesmo em off-season. Nota-se também que os exercícios cardiovasculares (caminhada rápida, por uma hora por dia) também se tornam muito mais fácil com GH. Ou seja, a aptidão aeróbica é melhorada com utilização GH.

Quão anabolizantes é isto? Bem, mesmo atletas de endurance em repouso (!) demonstraram estar em anabólico, segundo um estudo realizado (8) Sim, é isso mesmo, basicamente você pode correr maratonas tomando GH, e ainda construir algum músculo. Impressionante, não?

O hormônio do crescimento é normalmente secretado em pulsos rítmicos enquanto você está dormindo, como dois peptídeos, GHRH e somatostatina (SST), liberados alternadamente. Como você pode imaginar, GHRH (hormônio de liberação de GH) é um dos responsáveis pela liberação do hormônio do crescimento. (E quem disse que os cientistas têm uma forma esquisita para nomear as coisas…?).

O hormônio do crescimento também tem a capacidade de estimular a produção (ou reprodução, no caso de uma lesão) da cartilagem. Isto, porém, exige a presença de uma substância mediadora, a Somatomedina (IGF), que é liberada a partir do fígado em resposta ao GH. O IGF, por sua vez, realmente promove o crescimento das cartilagens.

Embora exija o IGF para crescimento da cartilagem, o GH é capaz de estimular diretamente o alongamento do tecido ósseo. O GH também tem mostrado um efeito positivo sobre eritropoiese, o que é bom tanto para anabolismo quanto para resistência.

Sabe o tal feedback negativo? Bem, obviamente, o seu corpo tem um que pode interromper a secreção de GH, e isso envolve o IGF. Quando o fígado secreta IGF-1, ele envia uma mensagem tanto ao hipotálamo quanto à pituitária, dizendo para parar a produção GH.

Como você provavelmente deve ter pensado até agora, o seu organismo produz a maioria do seu GH durante a sua infância, quando você está experimentando surtos de crescimento. À medida que você vai envelhecendo, no entanto, o corpo acaba produzindo menores quantidades desse hormônio, e seus efeitos são muito menos pronunciados.

Dan Duchaine escreveu em seu Underground Steroid Handbook, décadas atrás: “Esta coisa desagradável (o antigo GH Grorm) foi extraída a partir da (você está pronto?) hipófise de cadáveres.” O que é um avanço a partir de um par de séculos atrás, quando Descartes (o cara do “Penso, logo existo”) declarou a hipófise é a parte do corpo humano onde a alma reside. Enfim, de volta para coisa do cadáver… O GH extraído dos cadáveres era capaz de (em casos raros) ocasionar uma rara doença cerebral. Isto, é claro, infectava as crianças que recebiam o GH infectado. O uso de GH de cadáveres foi posteriormente descontinuado. Naquela época (década de 80), houve também uma versão falsa de um tal GH roxo (provavelmente GH misturado com o B-12), denominada “GH Rhesus Monkey” o que de certa forma chega a ser engraçado. Hoje em dia, no entanto, se você adquirir GH falso, muito provavelmente será HCG, uma vez que ambos vem apresentado como um pó e água bacteriostática, sendo necessário diluí-lo (e, em seguida, ele precisa ser refrigerado).

Mesmo se você estiver usando o GH não proveniente de cadáver (e neste ponto, é praticamente 100% de certeza que não há nenhum dos antigos Grorm deixados em prateleiras de lugar nenhum), é possível que você enfrente alguns efeitos colaterais como síndrome do túnel do carpo – CTS (um espessamento ou o crescimento dos ossos, mais visível nos pés, mãos e testa), e aumento do volume dos órgãos internos. Ginecomastia também é um possível efeito colateral do GH, bem como a retenção de líquidos.

Algumas coisas realmente interessantes:

Embora GH possa facilmente produzir ganhos de peso e massa muscular com muita qualidade e beleza, é muito fraco no que diz respeito a ganhos de força. Isso é muito contraintuitivo, e certamente muitos atletas tiveram excelentes resultados em força muscular, bem como tamanho e perda de gordura com GH. Outro ponto importante é que a maioria dos atletas que utilizam GH estão usando-o em um “cocktail” com (pelo menos) esteróides anabolizantes, e normalmente com IGF, T3, insulina e outras coisas, como um inibidores de aromatase.

Vamos discutir precisamente por que isso é assim:

A maioria das pessoas que estão mergulhando fundo na utilização de GH tem atingido um beco sem saída com o uso dos anabolizantes e veem a necessidade de avançar contra a parede. Tenho certeza que você ouviu falar sobre a combinação sinérgica de usar GH juntamente com esteróides anabolizantes, IGF, insulina e T3. O porquê disso é que quando estes hormônios são utilizados corretamente juntos, eles produzem uma grande quantidade de sinergia… A insulina é capaz de levar nutrientes pra dentro do músculo, o hormônio tireoidiano aumenta sua capacidade de queima de gordura, o IGF irá provocar o crescimento muscular bem como ajudará no crescimento de nova cartilagem (evitando assim possíveis lesões), e os esteróides anabolizantes como a testosterona, que pode especificamente (além de ser anabolizante) aumentar o IGF -1, no tecido muscular e talvez até mesmo aumentar a capacidade do corpo utilizá-lo. Além disso, uma maior quantidade de IGF normalmente “diz” ao corpo que pare a produção de GH… Mas a testosterona interrompe esta parte do feedback negativo! E a adição de um inibidor de aromatase também irá parar a conversão desta em estrogênio. O estrogênio reduz os níveis de IGF.
Enfim, o GH faz tudo que eu acabei de dizer!

Assim, IGF, testosterona (e naturalmente outros esteróides), insulina, T3 e GH, são a perfeita combinação para um ciclo de ganho de massa e perda de gordura! Sabe o que mais? GH é virtualmente indetectável em qualquer tipo de antidoping feito atualmente. GH, Insulina, T3 e IGF podem ser usados por aqueles são sujeitos a testes de drogas e também podem ser utilizados com segurança por aqueles que pretendem fazer uma “ponte” entre ciclos que não seja supressiva ao HTPA.

Finalmente, eu vou dizer como tomar GH!

Foi feito um estudo comparando o uso diário de GH e o uso em injeções a cada dois dias (dia sim dia não), com a mesma dose semanal. Embora seja contraintuitivo, as aplicações diárias produziram melhor crescimento total das crianças (na época entre 2 e 4 anos) do estudo.

Tomando GH todos os dias, a frequencia do pulso de GH foi acelerada, e dando assim o melhor resultado para o crescimento (altura) em crianças com esta deficiência… Esse pulso é necessário para o bom funcionamento dos receptores de GH. Utilizando-se dessa maneira, reduz-se a incidência de qualquer tipo de problemas associados com a cessação do uso terapêutico do GH, incluindo a regressão ou retardo de crescimento após o interrompimento do tratamento. Portanto, é muito confortável especular que usando o GH desta maneira (que simula mais de perto o padrão de secreção natural) permite que os receptores de GH e do resto do corpo se recuperem de forma mais eficiente após o fim do tratamento, e isso irá resultar em muito mais o crescimento muscular ao longo do tempo (embora a altura tenha sido examinada no estudo anterior). A recomendação, portanto, são duas aplicações por dia de 0,028iu/kg de massa corporal, para um mínimo de 3 meses e, de preferência, por 2 a 3 vezes esse tempo, juntamente com os outros compostos sinérgicos que acabamos de ver.

Referências:

1. Human Anatomy and Physiology, 6th Edition, John W. Hole jr.
2. J Appl Physiol 94: 2273-2281, 200
3. First published February 14, 2003; doi:10.11523. Journal of Applied Physiology, Vol 77, Issue 1 23-29,
4. EFFECTS OF RECOMBINANT GROWTH HORMONE ON VISCERAL FAT ACCUMULATION: PILOT STUDY IN HIV-INFECTED ADOLESCENTS.J Clin Endocrinol Metab. 2005 Apr 19; [Epub ahead of print]
5. Measures of submaximal aerobic performance evaluate and predict functional response to growth hormone (GH) treatment in GH-deficient adults. J Clin Endocrinol Metab. 1999 Dec;84(12):4570-7.
6. Hormonal responses to consecutive days of heavy-resistance exercise with or without nutritional supplementation. J Appl Physiol, Oct 1998; 85: 1544 – 1555.
7. Hormonal and growth factor responses to heavy resistance exercise protocolsJ Appl Physiol, Oct 1990; 69: 1442 – 1450
8. High dose growth hormone exerts an anabolic effect at rest and during exercise in endurance-trained athletes.J Clin Endocrinol Metab. 2003 Nov;88(11):5221-6.
9. Christ ER, Cummings MH, Westwood NB, Sawyer BM, Pearson TC, Sonksen PH, Russell-Jones DL. The importance of growth hormone in the regulation of erythropoiesis, red cell mass, and plasma volume in adults with growth hormone deficiency., J Clin Endocrinol Metab 1997 Sep;82(9):2985-90
10. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism Vol. 87, No.8 3573-3577
11. Am J Physiol Endocrinol Metab. 2002 Mar;282(3):E601-7.
12. Testosterone blunts feedback inhibition of growth hormone secretion by experimentally elevated insulin-like growth factor-I concentrations.J Clin Endocrinol Metab. 2005 Mar;90(3):1613-7. Epub 2004 Dec 7.
13. Comparison of the Metabolic Effects of Raloxifene and Oral Estrogen in Postmenopausal and Growth Hormone-Deficient Women.J Clin Endocrinol Metab. 2005 Apr 26; [Epub ahead of print]
14. Serum insulin-like growth factor I levels in growth hormone-deficient adults: influence of sex steroids.Horm Res. 2004;62 Suppl 1:73-6.
15. Growth hormone enhances effects of endurance training on oxidative muscle metabolism in elderly women. Am J Physiol Endocrinol Metab, Nov 2000; 279: 989 – 996.
16. J Gerontol A Biol Sci Med Sci 1998 May;53(3):M183-7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário